IMG_2552

Londrina – Qualidade de Vida!!!

O consultor austríaco Peter Drucker, considerado o “pai da administração moderna”, disse certa vez que “a melhor forma de prever o futuro é criá-lo”. E quando se trata do desenvolvimento econômico nacional, este futuro está intimamente ligado ao desenvolvimento das cidades de médio porte e com alta qualidade de vida. Londrina, portanto, se encaixa nesta rota de atração e precisa criar ferramentas eficientes para atrair atividades produtivas, independentemente do segmento.
Em meio à crise econômica e política que o País vive, que para o economista já “precisa ser olhada pelo retrovisor”, ele pontuou diversas características que colocam Londrina numa posição de vantagem entre as demais cidades de médio porte que também brigam pela captação de investimentos. A primeira delas é locacional. “Londrina está localizada no meio do caminho entre as metrópoles e as grandes áreas de desenvolvimento do agronegócio. Veja só: quando a crise estava se implantando, o dólar subiu progressivamente e os grandes produtores rurais começaram a respirar. Isso é algo que se viu por aqui.”
O economista também citou outros pontos econômicos e sociais bem relevantes, mas pouco conhecidos pelas lideranças locais. O primeiro deles é que Londrina é uma das cidades menos desiguais do País. O índice Gini mede a concentração de renda de 0 a 1, ou seja, quanto menor o índice, menor a desigualdade. Aqui, o valor é de 0,41, sendo que a média estadual é 0,46, e do Brasil, 0,52. Comparados a outras cidades de porte semelhante, como Dourados (0,46), Ribeirão Preto (0,46) e Campinas (0,42), Londrina está na frente. “O município também está localizado na ‘maior mancha’ de alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Paraná e está num entroncamento logístico multimodal e inter-regional bem interessante”, elenca
A grande pergunta é: será que os investidores sabem de todo o potencial da cidade, incluindo a qualidade de vida que ela oferece? Na opinião do economista, é preciso muito evoluir neste sentido. “As oportunidades de negócio estão em São Paulo ou Rio de Janeiro, mas a qualidade de vida nessas metrópoles impõe um custo muito grande. Indiscutivelmente eu mudaria para Londrina amanhã, se tivesse oportunidades para conduzir minha carreira. As empresas (investidoras) estão observando isso. Boa parte da produtividade delas e da qualidade de vida do trabalho está associada a essa questão locacional, onde as pessoas trabalham e vivem. As empresas sabem que colaboradores estressados e doentes se tornam improdutivos.”
Londrina além de ser uma metrópole de médio porte, ainda conta com uma grande quantidade de condomínios fechados melhorando ainda mais a qualidade de vida em nossa pequena Londres. Nós da MFG Imóveis fazemos parte dessa realidade.
Fonte – Folha de Londrina

foto de imoveis

COMO VOCÊ PODE ALUGAR UM IMÓVEL SEM FIADOR

Essa é uma forma de proteger o dono do imóvel se você não pagar o aluguel. Ela deve ser prevista em contrato e escolhida de comum acordo, segundo o consultor jurídico Vinícius Costa, da Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação (ABMH).
É importante esclarecer que a garantia locatícia protege o locador de emergências que podem acontecer na vida do locatário, como a perda de um emprego, por exemplo. Ela não substitui a necessidade de comprovar renda de, no mínimo, três vezes o valor do aluguel para locar o imóvel.
Vejam as seguintes alternativas para uma locação tranquila:

Caução

Além do aluguel todos os meses, você deposita uma valor equivalente a, no máximo, três vezes o valor do aluguel em uma poupança conjunta. Esse dinheiro é devolvido ao final do contrato, se você arcar com o seu compromisso todo mês.

Depois do fiador, essa é a garantia mais adotada em contratos de aluguel na capital paulista. A vantagem dela é que você receberá esse dinheiro de volta, corrigido pelo rendimento da poupança. A desvantagem é que três aluguéis desembolsados de uma única vez podem pesar no bolso.

Além disso, há proprietários que excedem o estabelecido por lei e exigem um depósito caução equivalente a até seis aluguéis. “Há exageros praticados no mercado”, Há também quem exagera com pedido de mais de 3 alugueis.

Seguro-fiança

Você contrata um produto de uma seguradora e, em caso de uma eventualidade, ela arca com o aluguel no seu lugar. Como qualquer outro seguro, você paga por isso e não recebe o dinheiro de volta depois.

Cada seguradora coloca o seu preço, mas, em geral, o custo varia entre uma e duas vezes e meia o valor do aluguel, segundo o site Tudo Sobre Seguros, da Escola Nacional de Seguros. O preço varia conforme a seguradora, a cobertura contratada e o perfil do locatário. “Vale fazer pesquisa de mercado antes de contratar o seguro”.

Além de pagar o aluguel e as multas em atraso para o proprietário do imóvel, o seguro também pode cobrir pinturas, danos ao imóvel, condomínio e IPTU.

A vantagem do seguro-fiança é que ele costuma ser mais barato que a caução e você consegue parcelá-lo durante os meses de contrato. A desvantagem é que você paga e não recebe o dinheiro de volta.

Fundos de investimento e títulos de capitalização

Cessão fiduciária de quotas de fundos de investimento. Nome complicado, não? Você pode ter essa garantia, prevista em lei, se tiver dinheiro aplicado em um fundo de investimento.

Se você não pagar o aluguel, o dono do imóvel pode pedir que as suas cotas do fundo suficientes para quitar a dívida sejam transferidas para o nome dele. O locador pode escolher se manterá o dinheiro aplicado ou se irá resgatar o valor, conforme as regras do fundo.

Essa é a forma de garantia menos comum, mas pode ser vantajosa para locatários e locadores interessados no universo de investimentos. Vale lembrar que há diferentes tipos de fundos, mais ou menos arriscados.

Da mesma forma que um fundo de investimento, existe a possibilidade de você adquirir um título de capitalização para servir como garantia no aluguel. Apesar dessa alternativa não ser prevista em lei, ela é oferecida pelas imobiliárias.

O valor do título é definido pelo inquilino e pelo locador. No entanto, diferente de um fundo de investimento, um título de capitalização não pode ser classificado como uma aplicação financeira e tem várias desvantagens. Entenda mais ao assistir esse vídeo.

Depósito de aluguel adiantado

Essa não é uma garantia locatícia prevista em lei, mas pode ser aceita por proprietários de imóveis, em raras situações. O inquilino simplesmente deposita um ou mais aluguéis adiantados na conta do locador.

Essa opção é muito vantajosa para locatários, mas pode ser arriscada para proprietários. O consultor jurídico da ABMH lembra que, se os dois entrarem de acordo, essa garantia deve estar explícita no contrato. Se o inquilino rescindir o contrato antes do prazo, não terá o dinheiro de volta.

Topicos: Aluguel, Fundos de investimento, Mercado financeiro

foto royal forest

SEGURANÇA DO CONDOMINIO EM PRIMEIRO LUGAR!!!

A busca por segurança, comum à maioria das pessoas que optam por morar em condomínios, tem levado síndicos e condôminos de empreendimentos verticais e horizontais a investirem pesado em soluções que potencializam o sentimento de proteção contra possíveis ações de roubo e violência dentro de casa. Todo o aparato tecnológico, no entanto, não dispensa a ação humana, fazendo do comportamento e da conscientização de moradores e porteiros um item fundamental na hora de afastar os invasores.

Identificação

Não saber quem está circulando pelo condomínio é um dos principais pontos de vulnerabilidade dos condomínios. Portanto, fazer o cadastro de visitantes e prestadores de serviços (com nome, foto, documento, número da unidade aonde vai, hora de chegada e saída) é fundamental e precisa ser realizado a cada novo acesso.

Obra

Em alguns casos, prestadores de serviços podem servir de fonte de informação sobre as rotinas do condomínio e seus moradores. Por isso, além da identificação diária, vale adotar métodos para o controle de sua circulação pelo empreendimento. Em um condomínio em São Paulo, os trabalhadores usam coletes numerados que os ligam à obra que executam, permitindo que os vigias percebam casos de circulação por locais indevidos.

Por isso temos que estar atentos por qualquer movimentação estranha dentro do condomínio, nessa situação informar o mais rápido a portaria para uma imediata verificação da segurança. Estamos atentos e queremos o melhor para o Resort Royal Forest. Marcelo F. Gonçalves – Consultor de Imóveis da MFG Imóveis.

 

 

fotos para anuncio

Financiamento maior anima Mercado

O aumento da faixa de financiamento para imóveis usados, anunciado esta semana pela Caixa Econômica Federal, está animando os agentes do mercado imobiliário. Ninguém arrisca números, mas o setor espera um significativo aumento nas vendas para minimizar os feitos da crise iniciada em  2014 e 2015.

As novas regras devem beneficiar, por tabela, o setor de imóveis novos, uma vez que deve gerar mais liquidez no mercado. Embora não seja encarada como a redenção completa, a medida é vista como uma forma de socorro emergencial.

Considera que a medida está longe do ideal, mas que é uma forma de amenizar a constante queda no setor verificada ao longo dos últimos meses. “Pelo menos atende àquela faixa de procura até R$ 400 mil. Uma faixa que  não é pequena, financiando até 70% do valor do imóvel desejado”.

É uma forma que o governo encontrou de dar fôlego ao setor e ao mesmo tempo manter o alento ao  mercado. “A norma antiga financiava somente 50%”.

A Caixa é responsável pela maior parte do crédito imobiliário. Então, naturalmente isso vai causar um impacto positivo no setor.

Mesmo sendo pensada para o mercado de imóveis usados, a medida deve influenciar positivamente a construção de novas unidades. “A maioria das pessoas que vendem seus apartamentos usados pretende comprar novas unidades”,  que evita  projeções, mas acredita em uma melhoria  no setor depois da mudança.

“A tendência é que a pessoa queira comprar um imóvel maior, em um bairro maior. Mas é preciso calcular se dá para fazer frente a um novo financiamento e a custos mais altos”.

Entre os custos, os gastos com o novo mobiliário e eventualmente o próprio custo de vida na nova vizinhança. “O comprador tem que levar em conta os preços no supermercado e nos serviços que são oferecidos perto de sua casa”.

Porém,  que  a atual instabilidade política e econômica do país deve ser levada em conta. “Estamos passando por um momento complicado; é preciso ter confiança extra nas finanças pessoais, estar bem estruturado, dinheiro poupado e segurança de que não perderá a renda”. Para isso sempre contrate um consultor de imóveis para poder assessorar você nos seus investimentos ou vendas dos seus imóveis. Visite o nosso site www.mfgimoveis.com.br, referência em condomínios, nos da MFG Imóveis estamos preparados para lhe orientar e ajudar nos novos investimentos imobiliários.

 

 

Family by house

Está procurando um imóvel? A MFG Imóveis pode fazer isso por você.

Trabalhamos com um conjunto de formalidades legais e especialidades técnicas para, com profissionais experientes, somos capazes de manusear e assumir o comando. A MFG Imóveis tem a plena responsabilidade na busca por imóveis de acordo com as suas necessidades.

Nossa seleção tem como base a localização desejada, o tipo de imóvel, a faixa de preço e outras questões pertinentes. A vantagem é que o cliente não terá que perder tanto tempo procurando um imóvel. A MFG fará isso.

Se estiver à procura de um imóvel para alugar ou comprar e precisa garantir que o imóvel seja livre de quaisquer irregularidades, conte com os nossos serviços. Com anos de experiência em buscas de imóveis residenciais e comerciais, a MFG Imóveis está totalmente focada em encontrar o imóvel que lhe trará retornos positivos.

Como parte de nossos serviços de busca personalizada, mantemos sempre um status atualizado de sua procura. É possível saber a qualquer momento sobre a situação e receber as últimas atualizações sobre o status da busca do imóvel desejado, além de outros detalhes relacionados ao serviço. Nossos consultores mantêm os clientes bem informados sobre os últimos anunciantes relacionados com o seu desejo. Sem custo algum para os clientes. MFG Imóveis, pensando em Você!!! http://www.mfgimoveis.com.br

 

 

Iptu

IPTU – Súmula 668 do STF declara a ilegalidade do imposto progressivo em favor dos proprietários de terrenos em Londrina.

A Prefeitura de Londrina vem lançando a cobrança de IPTU para de terreno não edificado à razão da alíquota fixada em 5% do valor venal, nesse passo, o Poder Judiciário vem entendendo que esse lançamento é inexigível pois, a legislação municipal não prevê, de modo válido, a progressão da alíquota fixada em 3%. Vale destacar, o Código Tributário municipal, lei municipal 7.303/97, fixa as alíquotas à razão de 1% (para os terrenos edificados) e de 3% (para os terrenos não edificados), com o propósito extrafiscal de disciplinar o uso do solo urbano. Nessa linha, a progressividade da alíquota, como ocorrida no lançamento questionado é ilegal porquanto, à época da edição do Código Tributário do Município de Londrina, a única autorização constitucional de cobrança progressiva era pelo aspecto do cumprimento da função social da propriedade, não contemplando o critério temporal adotado pela Tabela III do art. 175 da lei municipal. Vale dizer que, o critério temporal só foi reconhecido pela Constituição Federal brasileira após o advento da EC 29/00, a partir de então é que se permitiu a progressividade com base no uso e na localização do imóvel, o que força a conclusão de que a legislação em vigor não pode ser convalidada, sendo necessária nova legislação que assim disponha, após a autorização constitucional, consoante se infere da Súmula 668 do STF.

Fonte: Dr. Giovanne Schiavon, advogado.

 

foto casa propaganda

Comprar ou alugar um imóvel??

Além de fazer as contas que incluem o valores dos imóveis, da locação e do rendimento mensal. que se obtêm com o dinheiro poupado até então, é preciso ter muita cautela com a segurança no emprego e se ainda vai continuar na mesma cidade.

Você comprando um imóvel faz parte de uma construção de um patrimônio, mas, se você não está ainda bem firmado no seu emprego, é muito arriscado entrar num financiamento a longo prazo, pois  corre o risco de ter problemas no caminho.

Se for comprar um imóvel no valor de R$ 600.000,00 e for financiar  a entrada de 20%, você  estará entrando numa parcela de R$ 6.224,00 no prazo de 30 anos, logo você estará acima da locação para se manter num imóvel semelhante.

Se locar um imóvel semelhante, logo você poderá poupar a diferença para guardar para uma futura compra do imóvel.

Então se estiver com uma poupança, FGTS, e outros mecanismos que possam te ajudar a entrar em um financiamento e comprar seu imóvel, poderá realizar seu sonho mais rápido.

Nós da MFG Imóveis temos nossa consultoria para poder lhe ajudar nessa decisão, temos um departamento jurídico que nos ajuda a tomar decisões para poder melhor atender os nossos clientes. visite o nosso site http://www.mfgimoveis.com.br, esperamos vocês para qualquer duvidas e acompanhamento em suas decisões. MFG Imóveis

 

casa nova blog

Construção Sustentável: A moda da vez.

Quando ouço a seguinte pergunta: “Qual o tipo de construção está na moda?” Logo me vem à mente a seguinte resposta: todas! Não por falta de educação ou para encurtar a conversa, mas por simplesmente acreditar que não há um tipo. Assim como o texto “2016: Com que cor eu vou? ”, que a cor que mais lhe agrada é a que está na “moda”, o tipo de construção é a que, também, a mais lhe agrada.

Seja estilo moderno, clássico, contemporâneo ou colonial, com linhas retas ou orgânica, com platibanda ou telhado aparente, térrea ou sobrado, todo “tipo” de construção está na moda.

Há uma tendência maior para construções contemporâneas, com platibandas e muitos panos de vidros, mas não significa que é o que está na moda. Quem faz a moda é você e não o “padrão” que a sociedade tenta nos “enquadrar”.

Mas não podemos deixar de mensurar que a construção sustentável está na moda. Esta sim seria a resposta ideal para a pergunta feita no primeiro parágrafo. Se fosse dado essa resposta, com certeza, seria alvo de outra pergunta: “Mas qual o estilo, modelo de construção que está na moda? ” Aí sim, a primeira resposta se enquadraria melhor…

Vamos deixar a língua portuguesa, mais precisamente a gramática descritiva, de lado e vamos falar sobre a construção sustentável.

De acordo com o site http://ambientes.ambientebrasil.com.br/ o conceito de Construção Sustentável baseia-se no desenvolvimento de modelos que permitam à construção civil enfrentar e propor soluções aos principais problemas ambientais de nossa época, sem renunciar à moderna tecnologia e a criação de edificações que atendam às necessidades de seus usuários.

Ou seja, independente do estilo arquitetônico adotado para o projeto, a construção sustentável poderá existir na forma de reaproveitamento da água pluvial, reutilização do entulho, energia solar, técnicas construtivas para uma melhor ventilação e iluminação natural, dentro outras.

Portanto, a moda da vez é a construção sustentável. Com ela o estilo arquitetônico que mais lhe agrada tornar-se-á uma edificação que atenderá todas as necessidades dos seus usuários, solucionando alguns problemas ambientais. Visite o nosso site http://www.mfgimoveis.com.br

Gustavo Masson

Arquiteto

quarto pintado

COM QUE COR EU VOU???

Quando me perguntam qual cor será tendência para o próximo ano ou qual cor “está sendo mais usada”, eu sempre respondo com outra pergunta: Quais são suas cores preferidas?

O estado de espirito da pessoa, o gosto peculiar, o visual agradável que almeja, são variáveis para a definição de uma cor.

Por mais que haja um estudo de tendência de cores, o que importa mesmo, é a cor que mais agrada o cliente.

Há inúmeras empresas que fazem todo final de ano uma pesquisa (buscam melhor do estilo internacional em moda, arquitetura e design) e definem uma ou mais cores que serão tendências para o ano seguinte. Eu, Gustavo Masson e meu sócio Antonio Bertoni, do escritório “mb arquitetura”, temos como base três empresas: Coral, Suvinil e Pantone.

A primeira revelou através do Colour Futures que a tendência de cores para 2016 será o Ouro Monarca! Ao identificar uma cor que tivesse conexão com o tema-chave, a Coral percebeu que todas as tendências para 2016 possuem um toque de ouro. Sendo assim, a empresa criou 4 coleções: Tradução e Futuro, Palavras e Imagens, Claro e Escuro e Estrutura e Liberdade.

A segunda, Suvinil, tem como tema-chave a luz: “Luz que ilumina, transforma e complementa. Luz do sol que no Brasil se faz presente em todas as estações. Espalhando sua luminosidade na arte, nas cores e festas da cultura popular. A luz substancial que traz a consciência. A luz dinâmica que gera força para a transformação. A luz complementar que revela o outro. Faces de uma mesma luz que se decompõe em diversas cores e tons. Luz que serve de inspiração; luz que gera a motivação para pequenas e grandes ideias do cotidiano; luz que preenche a casa com as paletas de cores da alegria, energia e calor humano dando vida aos ambientes. Sem a luz não há vida. Sem luz não existe cor. Por isso, é tempo de deixar as cores ganharem vida. É tempo da vida se encher de cor”.

Diferente da Coral, essa empresa revelou a cor Água-Marinha como sendo a tendência para 2016. Ela exemplificou como sendo a cor do equilíbrio: “Contemplar o verde Água-marinha nos permite ir além de nós mesmos e desenvolver a capacidade de tolerância em relação aos outros. A cor perfeita para iluminar e harmonizar todos os níveis do nosso Ser”.

A Suvinil, também, dentro da tendência para 2016 criou coleções inspiradas no tema-chave: luz. São elas: Substancial: a luz que revela a essência, Dinâmico: a luz que gera transformação e Complementar: a luz que reflete o outro.

Por fim, e não menos importante, a empresa americana Pantone. Ela é considerada a empresa que possui um sistema de linguagem padrão para a comunicação em todas as fases do processo de gerenciamento de cores. Além disso, ela é quem mais exerce influência na moda, design e arquitetura. Gustavo Masson – Arquiteto – MFG Imóveis